Páginas

segunda-feira, 9 de março de 2009

CUIDADO COM OS ESPERTALHÕES!

Recebi do amigo Andreas Krell uma denúncia que merece ser divulgada para evitar que alguns incautos que sonham com a calçada da fama caiam no "conto do vigário". Espertalhões têm criado instituições com o objetivo de distribuir prêmios internacionais de reconhecimento por relevantíssimos serviços prestados à humanidade. As vítimas são pessoas crédulas, que acreditam piamente nos bons propósitos dos vigaristas e terminam ostentando um título inexistente, que nada acrescenta aos seus curriculos vitaes. Para evitar situações constrangedoras e hilárias, repasso a notícia para que cada um tire suas próprias conclusões.


Muitos pesquisadores recebem cartas do International Biographical Institute (Cambridge, England), do American Biographical Institute (Raleigh, North Carolina) e outras organizações, as quais os informam que ganharam um prêmio de reconhecimento por seu trabalho. Essas instituições enviam comunicados para um número elevado de pessoas, prometendo aos mesmos a inclusão em uma lista que soa prestigiosa ou a entrega de um prêmio numa reunião.

São oferecidas várias categorias de reconhecimento, para atrair pessoas ingênuas, como, por exemplo, os "2000 Cientistas Líderes do Século XXI", o "Livro dos 2000 Intelectuais", os "500 Líderes de Influência", as "5000 Personalidades do Mundo", as "Grandes Mentes do Século XXI", a "Elite dos Gênios", o "Registro dos Experts Mais Respeitados do Mundo", o "Laureado Mundial do Instituto Biográfico Americano" etc.

Cada receptor de tal mensagem é "convidado" a adquirir itens que podem ser orgulhosamente expostos ou usados para dar conta da alta distinção honrosa, como uma cópia do livro (talvez em edição luxuosa de couro), uma placa ou medalha (com o nome do receptor finamente gravado) ou até uma faixa (esplendidamente bordada em filete dourado). Cada um desses sinais de reconhecimento custa acerca de 250 dólares; a alternativa do registro numa reunião pode custar o dobro. Não há dúvida que prometer este tipo de "reconhecimento" é um negócio lucrativo.

Algumas (sobretudo confiantes) pessoas na Europa e América do Norte mesmo reivindicaram o reconhecimento proporcionado por estes "prêmios" mediante inserção na sua lista de qualificações. Em algumas partes do mundo, anúncios são postos em jornais por parte dos receptores para noticiar os prêmios, um comportamento reforçado pelo fato de que lá ninguém ri deles por ter gasto dinheiro dessa maneira.

Entretanto, dá para entender o nível de triagem a que potenciais receptores são sujeitos pela resposta dada quando um hotel indiano submeteu o nome do seu cozinheiro: ele recebeu devidamente uma placa e menção por seu "Papel de Liderança na Sociedade Sul-Asiática".

(Tradução livre do artigo: Dubious awards: Sashes and such. Newsletter of the Biological Survey of Canada. Volume 26, n. 1, 2007. www.biology.ualberta.ca/bsc/news26_1/awards.htm. Acesso: mar. 2009.)

2 comentários:

ISAAC SANDES disse...

É isso companheiro George, é faca por todo lado.

Basile disse...

Um profissional da área do direito que se submete a uma coisa dessas não pode ser levado a sério!

Grande abraço!